• Semana de Oração pela Unidade Cristã

Semana de Oração pela Unidade Cristã

Wednesday, May 5, 2021

Oração para cada dia - 16 a 23 de maio

“Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos” (Cf João 15,5-9)

 

A Semana de Oração pela Unidade Cristã 2021, nos coloca diante do grande amor de Deus que nos convida a amarmos uns aos outros como ele nos ama. Esta vivência não é somente para esta semana, mas para toda a nossa caminhada cristã. Neste ano, tendo como base os pilares: Oração, Vida Comunitária e Hospitalidade, as Irmãs da comunidade Grandchamp da Suíça escolheram o tema: “Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos” (João 15,5-9).

 

 

1º dia - Chamados por Deus

“Vós não me escolhestes, mas eu vos escolhi “(João 15,16a)

Leitura: João 1, 3-51 - O chamado dos primeiros discípulos 

Meditação: O amor de Deus nos procura. Deus se tornou humano em Jesus. Nele encontramos o olhar persistente de Deus. Em nossas vidas, como no Evangelho de João, o chamado de Deus é ouvido de diferentes maneiras. Tocados pelo seu amor, seguimos em frente. Nesse encontro, caminhamos por uma estrada de transformação - o brilhante começo de um relacionamento de amor que sempre se renova.

“Um dia compreendeste que, sem estares ciente disso, um sim tinha sido inscrito em teu mais profundo interior. E assim escolheste ir adiante nas pegadas de Cristo.... Em silêncio na presença de Cristo, o ouviste dizer: “Vem, segue-me; eu te darei um lugar onde repousar teu coração”. (As fontes de Taizé (2000), p.52)

Oração: Jesus Cristo, Tu nos procuras, desejas nos oferecer tua amizade e nos conduzir a uma vida sempre mais plena. Dá-nos a confiança de responder ao teu chamado para sermos transformados e nos tornarmos testemunhas de tua ternura no mundo. Amém.

 

 

2º dia - Amadurecendo internamente

“Permanecei em mim como eu permaneço em vós” (João 15,4a)

Leitura: Lucas 2,41-52 - Maria guardava esses acontecimentos em seu coração.

Meditação: Nós também precisamos de um longo período de maturação, uma vida inteira, para poder mergulhar nas profundidades do amor de Cristo, para deixar que ele permaneça em nós e nós permaneçamos nele. Sem sabermos como, o Espírito faz Cristo morar em nossos corações. E é através da oração, escutando a palavra, partilhando com outros, pondo em prática o que temos compreendido que nosso ser interior é fortalecido.

“Deixando Cristo descer às profundidades do nosso ser. Ele penetrará as regiões da mente e do coração, ele atingirá nossa carne até o nosso mais profundo ser, para que nós também experimentemos um dia as profundidades da misericórdia”. (As fontes de Taizé (2000), p. 134)

Oração: Santo Espírito, possamos receber em nossos corações a presença de Cristo, e valorizar isso como um segredo de amor. Alimentai a nossa prece, iluminai nossa leitura da Escritura, agi através de nós, para que os frutos de teus dons possam pacientemente crescer em nós. Amém.

 

 

3º dia - Formando um corpo

“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (João 15,12b)

Leitura: João 13,1-15.34-35 – Amai-vos uns aos outros.

Meditação: Jesus deseja que vida e amor circulem através de nós como a seiva na vinha, para que as comunidades cristãs sejam um só corpo. Mas, hoje como no passado, não é fácil viver juntos. Somos frequentemente colocados diante de nossas limitações. Às vezes falhamos deixando de amar aqueles que estão perto de nós numa comunidade, paróquia ou família. Há situações em que nossos relacionamentos se quebram completamente. Em Cristo somos convidados a nos revestir de compaixão, em incontáveis recomeços. O reconhecimento de sermos amados por Deus nos move a nos acolher uns aos outros com nossas forças e fraquezas. É então que Cristo está em nosso meio.

“Com quase nada, és um criador de reconciliação nessa comunhão de amor, que é o Corpo de Cristo, sua Igreja? Sustentado por um momento partilhado, alegra-te! Não estás mais sozinho. Em todas as coisas estás avançando junto com teus irmãos e irmãs. Com eles, és chamado a viver a parábola da comunidade”. (As fontes de Taizé (2000), pp. 48-49)

Oração: Deus, nosso Pai, Revelais a nós teu amor, através de Cristo e através de nossos irmãos e irmãs. Abri nossos corações para acolhermos uns aos outros com nossas diferenças e vivermos em clima de perdão. Fazei-nos viver unidos em um só corpo, para que venha à luz o dom que é cada pessoa. Que juntos possamos todos ser um reflexo do Cristo vivo. Amém.

 

 

4º dia - Orando juntos

“Já não vos chamo servos... chamo-vos amigos” (João 15,15)

Leitura: Lucas 11,1-4 - Senhor, ensina-nos a rezar.

Meditação: A oração pode ser solitária ou partilhada com outros. Pode expressar sensação de maravilha, queixa, intercessão, agradecimento ou simples silêncio. Às vezes o desejo de orar está presente, mas a pessoa sente que não é capaz de fazer isso. Voltando-se para Jesus e dizendo a ele “ensina-me”, pode-se preparar o caminho. Nosso próprio desejo já é uma oração. Ficar juntos em grupo nos oferece um apoio. Através de hinos, palavras e silêncio, a comunhão é criada. Se oramos com cristãos de outras tradições, podemos nos surpreender, sentindo-nos unidos por um laço de amizade que vem daquele que está além de qualquer divisão. As formas podem variar, mas é o mesmo Espírito que nos faz estar juntos.

“Na regularidade de nossa oração comum, o amor de Jesus desponta dentro de nós, não sabemos como. A prece comum não nos dispensa da prece pessoal. Uma sustenta a outra. Cada dia, reservemos um tempo para renovar nossa intimidade pessoal com Jesus Cristo”. (A regra de Taizé em francês e inglês Sociedade para a Promoção de Conhecimento Cristão, Grã-Bretanha, pp 19. & 21)

Oração: Senhor Jesus, tua vida inteira foi oração, perfeita harmonia com o Pai. Através de teu Espírito, ensinai-nos a orar de acordo com teu desejo de amor. Que os fiéis do mundo inteiro se unam em intercessão e louvor, e venha o teu Reino de amor. Amém.

 

 

5º dia - Deixando-se transformar pela Palavra

“Vós já estais purificados pela Palavra” (João 15,3)

Leitura: Mateus 5,1-12 - Felizes sois vós.

Meditação: Meditando regularmente sobre um texto bíblico, sozinhos ou em grupo, mudamos nossa atitude de vida. Muitos cristãos oram a partir das bem-aventuranças todo dia. As bem-aventuranças nos revelam uma felicidade que está escondida naquilo que está incompleto, uma felicidade que vai além do sofrimento: abençoados são aqueles que, tocados pelo Espírito, não mais retêm suas lágrimas, mas as deixam rolar e assim recebem consolação. À medida que descobrem uma fonte do bem, escondida dentro de sua paisagem interna, a fome de justiça e a sede de unidade com outros por um mundo de paz crescem dentro deles. Somos constantemente chamados a renovar nosso compromisso com a vida, através de nossos pensamentos e ações. Há ocasiões em que já provamos, aqui e agora, a bênção que será completada no fim dos tempos.

“Orem e trabalhem para que Deus venha reinar. Ao longo de seus dias, deixe a Palavra de Deus soprar vida no trabalho e no descanso. Mantenha silêncio interior em todas as coisas para morar em Cristo. Encha-se do espírito das bem-aventuranças: alegria, simplicidade, misericórdia”. (Essas palavras são recitadas diariamente pelas Irmãs da Comunidade de Grandchamp)

Oração: Bendito és Tu, Deus nosso Pai, pelo dom de tua Palavra na Sagrada Escritura. Bendito és pelo teu poder transformador. Ajuda-nos a escolher a vida e guia-nos com teu Espírito, para experimentar a felicidade que queres tanto partilhar conosco. Amém.

 

 

6º dia - Acolhendo outros

“Ide produzir frutos, frutos que permaneçam”(João 15,16b)

Leitura: Marcos 6,30-44 - Jesus tem compaixão da multidão.

Meditação: No relato evangélico da multiplicação dos pães, Jesus é movido por compaixão ao ver a multidão faminta. Ele sabe que a pessoa humana inteira precisa ser nutrida, e que ele sozinho pode verdadeiramente satisfazer a fome de pão e a sede de vida. Mas ele não deseja fazer isso sem seus discípulos, sem aquela pouca coisa que eles lhe podem dar: cinco pães e dois peixes. Ainda hoje ele nos chama para sermos colaboradores no seu cuidado incondicional. Às vezes algo pequeno, como um olhar bondoso, um ouvido aberto ao outro, ou nossa presença é suficiente para fazer uma pessoa se sentir acolhida. Quando oferecemos nossas pobres habilidades a Jesus, ele as usa de modo surpreendente.

“É o próprio Cristo que recebemos num hóspede” (Regra de Taizé em francês e inglês (2012), p. 103). As pessoas que acolhemos dia após dia encontrarão em nós homens e mulheres radiantes em Cristo, nossa paz? ” (As fontes de Taizé (2000), p. 60).

Oração: Jesus Cristo, queremos acolher plenamente os irmãos e irmãs que estão conosco. Sabeis como frequentemente nos sentimos incapazes diante do seu sofrimento, ainda assim, estas sempre lá à nossa frente e já os tendes recebido em tua compaixão. “Fala a eles através de nossas palavras, ajuda-os através de nossas ações, e deixa que tua bênção repouse sobre todos nós. Amém.

 

 

7º dia - Crescendo na unidade

“Eu sou a vinha, vós sois os ramos” (João 15,5a)

Leitura: João 17,20-23 - Que sejam um como nós somos um.

Meditação: Na véspera de sua morte, Jesus orou pela unidade daqueles que o Pai lhe dera: “que todos sejam um... para que o mundo creia”. Unidos a ele, como ramos na videira, partilhamos a mesma seiva que entre nos circula e nos vitaliza. Cada tradição procura nos levar ao coração de nossa fé: comunhão com Deus, através de Cristo, no Espírito. Quanto mais vivermos essa comunhão, mais estaremos conectados a outros cristãos e a toda a humanidade. Paulo nos adverte contra uma atitude que já havia ameaçado a unidade dos primeiros cristãos: a absolutização da tradição própria de cada um, em detrimento da unidade do corpo de Cristo. Diferenças então se tornam fonte de divisão em vez de serem mutuamente enriquecedoras. Paulo tem uma visão bem mais ampla; “Tudo é vosso, mas vós sois de Cristo, e Cristo é de Deus” (1 Cor 3,22-23). O desejo de Cristo nos compromete a seguir um caminho de unidade e reconciliação. Também nos compromete a unir nossa prece com a dele: “que sejam um... a fim de que o mundo creia.” (Jo 17,21)

“Nunca se conforme com o escândalo da separação de cristãos que tão prontamente professam amor ao próximo e ainda assim permanecem divididos. Faça da unidade do corpo de Cristo sua apaixonada preocupação”. (A Regra de Taizé em francês e em inglês (2012), p. 13)

Oração: Santo Espírito, chama vivificante e sopro delicado, vinde e permanece em nós. Renova em nós a paixão pela unidade para que vivamos conscientes do laço que, em ti, nos une. Que todos que se ligaram a Cristo em seu Batismo estejam unidos e juntos deem testemunho da esperança que os sustenta. Amém.

 

 

8º dia - Reconciliando com toda a criação

“Para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja perfeita” (Jo 15,11)

Leitura: Marcos 4,30-32 - Pequeno como um grão de mostarda

Meditação: Com os olhos da fé, vemos que o Reino de Deus é uma realidade que está bem próxima, mas ainda é bem pequena, dificilmente visível - como um grão de mostarda. No entanto, está crescendo. Mesmo no meio dos sofrimentos do nosso mundo, o Espírito do Ressuscitado está em ação. Ele nos anima a nos envolvermos - com todas as pessoas de boa vontade - numa busca incessante por justiça e paz, e no esforço de garantir que a terra seja de novo um lar para todas as criaturas. Participemos do trabalho do Espírito para que a criação em todo o seu conjunto possa continuar louvando a Deus. Quando a natureza sofre, quando seres humanos são esmagados, o Espírito do Cristo ressuscitado - longe de nos deixar de coração desanimado - nos convida a participar de seu trabalho de cura.

“Desejais celebrar a novidade da vida que Cristo nos deu através do Espírito Santo, e deixá-lo viver em vós, entre vós, na Igreja, no mundo e em toda a criação? ”(Segunda promessa feita durante a profissão da Comunidade de Grandchamp)

Oração: Deus três vezes santo, te agradecemos por nos terdes criado e por teu amor. Agradecemos por tua presença em nós e na criação. Que possamos aprender a olhar o mundo como Tu o vês, com amor. Na esperança dessa visão, possamos ser capazes de trabalhar por um mundo onde floresçam a justiça e a paz, para glória do teu nome. Amém.

 

Fonte: Texto base do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos e Comissão Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas

Mais Sugestões
Santas Missões Populares
Jornal Diocese em Foco
Vocações
Logotipo Paróquia Laguna

- Paróquia Laguna -
Praça Vidal Ramos, 26 | Centro
88.790-000 | Laguna | SC
stoantonio_laguna@hotmail.com
(48) 3644-2214

© 2019 Copyright Paróquia Laguna - Todos os direitos reservados

© 2019 Copyright Paróquia Laguna
Todos os direitos reservados
KleinCode | paxweb.com.br