Logotipo

25º Zumbi Afro

(27/11/2017)

20 de Novembro é o Dia Nacional da Consciência Negra. Nesta data, há 322 anos, foi assassinado Zumbi dos Palmares, líder máximo da resistência contra a escravidão, por meio dos Quilombos. Importante conquista porque deslocou as reverências oficiais da dita “liberdade dada” pela princesa Isabel, no dia 13 de maio de 1888, que acomoda, para a “liberdade conquistada” pela luta, que mobiliza para novas conquistas.

Para marcar a data, no dia 19 de novembro, domingo, foi realizado o 25º Zumbi Afro, na Comunidade de Caeté, município de Gravatal. A Missa foi presidida pelo Pe. Aguiar, que acompanha os Zumbi Afros desde o seu início. Fez sua reflexão a partir do documento de estudos da CNBB, nº 85. Professor Maurício, coordenador diocesano da Pastoral Afro Brasileira e um dos coordenadores do evento, conduziu contundente reflexão após o almoço destacando a importância do estudo para superar tantas barreiras que a sociedade brasileira ainda impõe sobre o povo negro. Citou os catarinenses Cruz e Souza (1861-1898) e Antonieta de Barros (1901-1952), ícones da intelectualidade brasileira e conclamou os pais e avós para que incentivem os filhos e netos a estudarem.

Zumbi Afro 25 anos


“Eu vou contar minha história. Sou o negro contador”

Eu sou negro de alma negra, o meu irmão, da malícia e do molejo, e trago a capoeira no coração. Da arte de gingar, ao Berimbau que me faz sonhar. Sou negro na minha história, de reverência ao mestre Nagô, de reverência ao mestre Zumbi “O Rei dos Palmares”.

Sou negro forte, de luta até a morte, por liberdade e mais amor. Sou a história de um povo, que crê e busca viver a Fé e a Esperança. De dias sem dor, sem racismo, sem preconceito.
Sou negro de 25 anos, nascido no coração de negros que lutavam, por um mundo mais irmão, e cheio de compreensão.

Nasci no seio da Igreja, nela fui acolhido. Desconfiados muitos pensaram que eu não ficaria crescido. Cresci com o apoio de muitos, com sonho de milhares. Ano após anos fui semeando minha negritude pelos ares. Finquei raiz no coração de muitos irmãos negros espalhados. Quem encontraram em mim a força, para suas vidas mudarem.

Cresci dançante, cantante, fui ensinado a respeitar minha cor e amar o meu legado, de luta, fé e amor que sempre deveria ser semeado. Gratidão carrego no peito, por aqueles que me geraram, Pe. Antônio Liandro, in memoriam aqui lembrado, Negra Senhora Daysi Bernardes Martins que começou todo esse legado. Agradeço a Deus, cada um daqueles que, com sangue e suor, fizeram a minha história.

Hoje feliz celebro 25 anos de memória. Dioceses de Tubarão e Criciúma, foi onde compus minha história. Hoje passada aos jovens, com amor e glória. Glória da fé que nos move para não esquecer de onde viemos. Da mãe África, que lembramos e sempre sonhamos.

Sou Zumbi Afro Senhor! Encontro dos negros das Dioceses de Tubarão e Criciúma com muito amor. Feliz completo mais um ano. Unidos os negros sonhadores de uma sociedade sem racismo e sem rancor.

VIVA A ZUMBI AFRO!!!!!

(Leitura feita por Deisy Machado Francisco moradora da cidade de Gravatal, Bairro: Riacho)

MAIS NOTÍCIAS