Logotipo

Vigília de Oração por ocasião do Jubileu Extraordinário da Divina Misericórdia

Edição Pe. Nilo Buss (29/04/2016)

1. A misericórdia de Deus tem muitas faces.
... as faces da misericórdia (de Deus) com que Ele vem ao nosso encontro, são verdadeiramente muitas; é impossível descrevê-las todas, porque a misericórdia de Deus cresce sem cessar. Deus nunca Se cansa de exprimi-la, e nós não deveríamos jamais recebê-la, procurá-la, desejá-la por hábito. ... à vista da imaginação criadora de Deus, quando vem ao nosso encontro com o seu amor.

02. Deus nos ama à maneira de pais carinhosos no trato com seus filhos.
“Segurava-os com laços humanos, com laços de amor, fui para ele como os que levantam uma criancinha contra o seu rosto; inclinei-me para ele, para lhe dar de comer” (Os, 11, 4). ... Deus pega em cada um de nós e levanta-nos até ao seu rosto. Quanta ternura contém e quanto amor manifesta! Ternura: palavra quase esquecida e de que o mundo atual, todos nós temos necessidade...

03. Em Jesus a misericórdia de Deus não é só palpável, mas exigente.
... “Pela sua encarnação, Ele, o Filho de Deus, uniu-Se, de certo modo, a cada homem. Trabalhou com mãos humanas, pensou com uma inteligência humana, agiu com uma vontade humana, amou com um coração humano... Por conseguinte, em Jesus, podemos não só palpar a misericórdia do Pai, mas somos impelidos a tornar-nos nós mesmos instrumentos da misericórdia... Jesus disse-nos que devemos ser “misericordiosos como o Pai” (cf. Lc 6, 36). E isto requer a vida inteira!

04. A misericórdia tornada experiência nos desinstala.
... (Ela) é-nos dada a conhecer como proximidade e ternura, mas, em virtude disto, também como compaixão e partilha, como consolação e perdão. Quem dela mais recebe, mais é chamado a oferecer, a partilhar; não pode ser mantida oculta nem retida só para nós mesmos. É algo que faz arder o coração e o desafia a amar, reconhecendo a face de Jesus Cristo, sobretudo em quem está mais longe, fraco, abandonado, confuso e marginalizado. 

05. Um questionamento intrigante do papa!
A misericórdia sabe olhar cada pessoa nos olhos; cada uma delas é preciosa para ela, porque cada uma é única. Quanta amargura sentimos no coração quando ouvimos dizer: “Esta gente… esta gente, estes miseráveis, expulsemo-los, deixemo-los dormir na estrada”. Será isto de Jesus?

06. Misericórdia experimentada é como que tocar a chaga de Jesus!
Tomé era um teimoso. Não acreditara e encontrou a fé, precisamente quando tocou as chagas do Senhor. Uma fé que não é capaz de se imergir nas chagas do Senhor, não é fé. Uma fé que não é capaz de ser misericordiosa, à semelhança das chagas do Senhor que são sinal de misericórdia, não é fé: é mera ideia, é ideologia... 

07. Desafio a um compromisso concreto no ano da misericórdia?
... Como seria belo se em cada diocese, como recordação, digamos, como “monumento” deste Ano da Misericórdia, se erguesse uma estrutura de misericórdia: um hospital, uma casa para idosos, para crianças abandonadas, uma escola onde não houvesse, uma casa para recuperação dos toxicodependentes… Seria bom que cada diocese pensasse nisto: que posso deixar como recordação viva, como obra de misericórdia viva, como chaga de Jesus vivo neste Ano da Misericórdia? Pensemos e falemos com o(s) Bispo(s). Obrigado!

MAIS ARTIGOS